KARINA OLIANI

@karina oliani

Ambientes sagrados não são lugares para escaparmos do mundo. Pelo contrário. São portais para que possamos entrar nele de verdade. Profundamente.

Montanhas para mim são como templos. Onde me sinto mais perto do céu, mais próxima do Divino. Muitas vezes no dia a dia realizando nossas atividades, não nos damos conta do sagrado que nos cerca. E foi assim, num dia corrido de filmagens em que estava praticando Heliski – esporte em que  um helicóptero te leva para áreas isoladas, de neve intocada, para que então  você possa  esquiar, que de repente tive uma visão. Sentada no topo das rochas no Canada, frente a uma paisagem arrebatadoramente livre, tive um daqueles momentos de reflexão intensa.

Percebi que sempre preferi os perigos da liberdade ao sossego da submissão. Talvez  para mim perigo  de verdade fosse ficar  parada, ao invés de me jogar. E mesmo sabendo que tudo na vida tem seu preço, entendi que pagar para ser livre nunca foi um problema para mim. O preço é alto, é verdade. Estar onde eu quero, fazendo o que gosto e viver como acredito, nunca foi fácil. Ao contrario do que muitos pensam trilhar seus próprios caminhos é desgastante, complexo e requer sacrifícios com bastante frequência (sempre, para ser sincera). Mas ali naquele momento, aos meus 36 anos percebei  que minha vida não poderia ter sido construída de outra forma.

Quanto as pás do rotor principal do helicóptero que voltava pra nos buscar rompeu o silencio, acordei na minha reflexão. Era hora de embarcar e ir procurar oura montanha inóspita e virgem pra desbravar. Sorri e pensei que era hora de me jogar na liberdade que tanto me alimentava.

Pouco depois, enquanto descia sobre os esquis e minhas pernas sentiam cada metro da montanha passar voando sob meus pés, os pensamentos sobre a tal liberdade voltaram à minha mente. Como não se sentir livre surfando montanhas de tamanha beleza? Montanhas únicas que estavam ali, naquele momento, só para mim. Em latim libertas, pode ser sinônimo de ousadia e de franqueza. Então a tal liberdade vai além do livre arbítrio, e muito mais além de fazer o que queremos, quando queremos? Liberdade significa autonomia. Mas ela também pede espontaneidade. Talvez por isso, para muitos filósofos como Marx, Sartre e Descartes, a liberdade não passa de um conceito, uma utopia. Para mim liberdade é simplesmente um estilo de vida. Uma das melhores coisas – e talvez a mais efêmera – que uma pessoa possa experimentar durante a sua breve existência.

Karina Oliani

@karinaoliani